Página Inicial

FUNDAÇÃO PARQUES E JARDINS
 

CONHECENDO A SUA HISTÓRIA

A primeira iniciativa de preservação ambiental no Rio de Janeiro surge da necessidade de proteção às nascentes que abasteciam a cidade, em fins do século XVIII, resultando posteriormente no reflorestamento da Floresta da Tijuca coordenado pelo Major Archer a partir de 1861.

Em 1893, foram criadas a “Inspectoria de Mattas, Florestas,Jardins Públicos,Arborização e Caça e a Inspectoria de Mattas Marítimas e Pescas”.

Em 1902, sob a denominação de Inspectoria de Mattas,Jardins,Arborização,Caça e Pesca, foram unificadas as duas Inspectorias, cuja sede, é construída em 1909 pelo arquiteto Leon Gaubert em estilo Luiz XV no Campo de Santana.

A sede, ao longo a trajetória da FPJ, passou por três ampliações, as quais preservaram seu estilo original. Seu primeiro diretor foi Auguste François Marie Glaziou e por ela passaram nomes como Arquimedes Jose da Silva,Luis Rey,Paulo Villon,Azevedo Neto,Nelson Muniz Nevares,Luiz Emygdio de Mello Filho,Fernando Magalhães Chacel,Vitor Olaf Prochinick e Renato Primavera Marinho, entre outros que contribuíram para a construção da imagem da cidade.

Em 1940, torna-se o Departamento de Parques da Secretaria Municipal de Obras, tendo como atribuições a implantação e conservação de parques e praças, monumentos, chafarizes e coretos, a instalação de playground, o reflorestamento, a arborização e a produção de espécies vegetais destinadas aos logradouros públicos.

A partir de 1989 transforma-se em FUNDAÇAO PARQUES E JARDINS, através de Lei n 1419 de 11/07/89.

Em 1993, com a criação da Secretaria de Meio Ambiente, a Fundação Parques e Jardins passa a integrá-la, assumindo novas responsabilidades concernentes à conservação do patrimônio ambiental urbano do Rio de Janeiro, contando com mais de 1800 praças e parques sob sua responsabilidade.

A Fundação Parques e Jardins-FPJ,é responsável pelos projetos paisagísticos da cidade, incluindo a sua conservação e a arborização pública.

O Município do Rio de Janeiro possui mais de 1800 praças e parques urbanos sobre sua responsabilidade. Essas áreas verdes, com dimensões e características as mais variadas, necessitam de intervenções freqüentes por parte da Fundação Parques e Jardins.

Com esse objetivo, respaldada na Lei Orgânica de 1990 e em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente, a FPJ desenvolve inúmeros projetos no Município do Rio de Janeiro.

As soluções paisagísticas adotadas pretendem atuar como convite à população, aliando a conservação do patrimônio ambiental à preocupação estética, sendo que os projetos são elaborados para atender às diversidade dos lugares, buscando dinamizar as atividades em função de seus usos e contemplar o publico com atrativos culturais, esportivos, recreativos e de lazer .